Procon intensifica fiscalização nos postos de combustíveis

Foto: Divulgação/PMB

Em função da alta do preço dos combustíveis nos últimos dias, o Procon de Blumenau está intensificando a fiscalização nos postos de combustíveis. A medida serve para verificar se está havendo prática abusiva por parte dos estabelecimentos. De acordo com o responsável pelo órgão de defesa do consumidor, Marcello Schiliró, a fiscalização deve atingir mais de 10 postos entre esta quinta e sexta-feira, dias 4 e 5, devendo se estender e se intensificar durante a próxima semana.

Para uma avaliação mais precisa se está havendo abuso de preços nas bombas na cidade, o Procon está autuando os postos de combustíveis, exigindo as notas fiscais de entrada (compra) e os cupons de saída, devendo os proprietários dos estabelecimentos apresentarem os documentos desde o dia 1º de janeiro.

“Estamos solicitando os documentos fiscais a fim de constatar ou não a prática abusiva de elevação sem justa causa do preço de produtos e serviços, conforme disposto no art. 39, inciso X do Código de Defesa do Consumidor (CDC). O que caso constato dará ensejo à aplicação das sanções previstas no CDC, em seu art. 56”, diz. “A proposta é fazer a análise dos documentos fiscais solicitados, permitindo traçar a variação entre o valor de compra e venda dos combustíveis durante o ano de 2021”, reforça.

Ainda segundo Marcello, nada impede que os postos de combustíveis trabalhem com preços diferenciados, pois a Constituição é clara em seu art. 170, que dispõe sobre ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, mencionando os princípios da livre concorrência e defesa do consumidor, dentre outros.

Compartilhar
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”