Vinte e seis acusados de tráfico de drogas são julgados em Gaspar

Segue nesta sexta-feira em Gaspar, o julgamento de 26 acusados de tráfico de drogas. A investigação que levou a prisão dos réus teve início em 2013 e durou um ano. As primeiras prisões ocorreram em agosto do ano passado e entre os acusados estão Leudivan Nunes e Charles Ricardo Zuchi, dois dos 14 foragidos do Presídio Regional de Blumenau que escaparam por um buraco na semana passada. A dupla será julgada à revelia, sem estarem presentes.

Segundo o Delegado Egídio Ferrari, responsável pelo inquérito, a maioria dos acusados tem ligação com a facção criminosa que atua nos presídios catarinenses. Há homens e mulheres em julgamento e de várias funções na organização, de olheiro a chefe de quadrilha conforme o Delegado. Este é o maior julgamento já feito em Gaspar e o segundo envolvendo réus da facção no Estado. O maior ocorreu em setembro de 2013, no Complexo Penitenciário da Canhanduba, em Itajaí, quando mais de 90 réus acusados de ordenar os ataques foram julgados.

O julgamento que teve início na quarta-feira acontece na sede da OAB de Gaspar e por motivos de segurança a área foi isolada e o julgamento ocorre sem público ou imprensa. Agentes do Departamento Administração Prisional (Deap) e do Comando de Operações Especiais (COE) fazem o monitoramento da área para evitar algum tipo de atentado. Quinze advogados fazem a defesa dos acusados durante o julgamento que não tem previsão de conclusão.

Compartilhar
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”