Vidros com películas mais escuras que o permitido são notificados em Blumenau

O uso de insulfilm começou a ser fiscalizado pela Guarda de Trânsito e Polícia Militar de Blumenau. Durante as abordagens os agentes constatam a intensidade de luminosidade através dos vidros dos veículos. Os carros com películas mais escuras do que o permitido são multados.

Este tipo de fiscalização é uma novidade e só é possível porque a PM recebeu um equipamento que mede a intensidade. Conforme o diretor de Trânsito do município, Lúcio Beckhauser, o uso de produto inadequado pode prejudicar a condução do veículo, já que a película mais forte pode dificultar a visibilidade do retrovisor em locais mais escuros e o motorista não perceber a presença de pedestres e ciclistas. Além disso, dificulta a identificação do condutor e ocupantes em abordagens.

Para os vidros laterais dianteiros o limite é de 70% de visibilidade. Já os vidros laterais traseiros podem ser mais escuros com até 28%  de visibilidade. O uso de película irregular é considerado uma infração grave que gera multa de R$ 127,00 e cinco pontos na carteira de motorista.

O produto precisa ser retirado do veículo para que ele possa voltar a circular. O proprietário pode fazer isso na hora da abordagem ou optar pela retenção do documento com prazo de 48h para retornar com o veículo regular. Segundo o diretor de Trânsito a regra também vale para carros oficiais.

Compartilhar
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”