Vereadores voltam atrás e aprovam projeto que mantém salário de vice-prefeito

Votação de dezembro. Quem votou sim foi a favor da manutenção do salário. Foto: Reprodução/Informe Blumenau.

Em sessão ordinária na câmara de vereadores de Blumenau nesta terça-feira (13), os legisladores voltaram atrás e decidiram manter o salário do vice-prefeito para os próximos mandatos. Em maio deste ano, um projeto criado pelo vereador Ivan Naatz, foi aprovado e retirou a remuneração da função a partir de 2017. Porém, nesta terça, uma emenda aprovada pela maioria restabeleceu o pagamento de R$ 10,7 mil mensais.

O projeto que contém a emenda de subsídios ao vice-prefeito, foi feito para fixar o salário do prefeito (R$ 21.444,09) e secretários (R$ 9.936,88), que não tiveram aumento. Ele será encaminhado ao prefeito que terá que sancionar ou não o projeto.

Para que a emenda fosse aprovada, 10 vereadores votaram a favor. Apenas os vereadores Ivan Naatz (PDT) e Vanderlei (PT) foram contra o projeto. O atual presidente da casa e futuro vice-prefeito da cidade, Mario Hildebrandt (PSB) (não estava na câmara), e também o vice-presidente Marcos da Rosa (DEM) não votaram. Adriano Pereira (PT), se absteve do voto.

Dos 10 vereadores que votaram a favor da emenda que restabelece o salário do vice-prefeito, cinco haviam votaram a favor da retirada do beneficio em maio. São eles Célio Dias (PR), Cézar Cim (PP), Jeferson Forest (PT), Robinho (PR) e Zeca Bombeiro (SD). Dos outros cinco que votaram a favor, quatro já haviam se mostrado contra a retirada da remuneração e um não estava na casa na primeira oportunidade.

Veja como votou cada vereador nas duas oportunidades:

 

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”