Vereadores de Blumenau querem informações sobre investigação de suposta fraude na merenda escolar

Foto: Imprensa CMB

Os vereadores de Blumenau aprovaram requerimento convocando a secretária de Educação, Patrícia Lueders e solicitando a Delegacia de Combate à Corrupção da Polícia Civil cópia do inquérito que investiga suposta fraude na merenda escolar. O presidente do Conselho Alimentar Escolar também será convidado.

O suposto esquema foi conhecido após a operação Agricultor Fantasma na quarta-feira (21). Segundo a polícia, produtos dos kits distribuídos nas escolas municipais durante a pandemia eram superfaturados e alguns agricultores não produziam os alimentos como determinava a chamada pública. Os vereadores também decidiram que a Comissão de Agricultura, Meio Ambiente, Indústria e Comércio, vai chamar o funcionário público supostamente envolvido no esquema para prestar esclarecimentos.

Já a Prefeitura de Blumenau informou que segue apurando as supostas irregularidades. Reforçou que assim que tomou conhecimento do caso, o prefeito municipal determinou a instauração de sindicância interna e exonerou o servidor público citado na investigação.

Ainda segundo o governo, a Controladoria Geral do Município realizará auditoria em todos os contratos relacionados à compra de produtos da agricultura familiar, para assegurar a probidade administrativa e a continuidade do programa, que é um importante gerador de renda e manutenção dos produtores rurais no campo.

Compartilhar
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”