Terapeuta de Blumenau que usava chá alucinógeno para abusar de pacientes é condenado a 14 anos de prisão

Foto: Divulgação / Polícia Civil

A Justiça condenou a 14 anos de prisão o suposto terapeuta de Blumenau que usava a profissão para cometer crimes sexuais contra as clientes. Ele terá de cumprir a pena inicialmente em regime fechado. A sentença, foi proferida nesta semana, quatro meses após a prisão do homem.

Na época, cerca de dez depoimentos foram anexados ao inquérito encaminhado ao Ministério Público. O réu, porém, foi absolvido de parte da acusação. A Justiça considerou sete vezes o crime de violação sexual e descartou um estupro que teria ocorrido em setembro do ano passado.

Conforme os relatos colhidos pelo delegado David Sarraf, da Delegacia de Proteção a Criança, Adolescente, Mulher e Idoso de Blumenau, o homem atraía e selecionava as pacientes para sessões individuais no suposto centro de terapia, no bairro Velha.

No local ele fazia uso de ayahuasca e outros métodos que retiravam total ou parcialmente a consciência e a capacidade de discernimento da vítima. Com elas vulneráveis, passava a mão pelas genitais e, em alguns casos, mantinha relação sexual.

Ainda segundo as investigações, o acusado está em Blumenau há cerca de três anos. Antes disso já havia atuado em outras cidades, como Balneário Camboriú, Foz do Iguaçu e Florianópolis. Outros relatos surgiram após o envio do inquérito e devem gerar novos processos contra o condenado.

Compartilhar
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”