Suspeito de matar taxista em Blumenau é preso em Barra Velha

A Polícia Civil de Blumenau, através da Divisão de Investigação Criminal, identificou o principal suspeito de assassinar o taxista Ismael Batista de Liz, de 36 anos no começo do ano.  A prisão ocorreu em Barra Velha neste domingo (26), com o auxílio da PM. A Polícia já tinha pedido a prisão preventiva do suspeito logo após o crime.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Egídio Ferrari, no dia 20 de fevereiro, Ismael foi encontrado caído morto na garagem de sua residência, na Rua dos Pescadores, Bairro da Velha, por um colega de trabalho que o procurava. O taxista foi morto com um tiro no peito. Os trabalhos investigativos iniciaram com a realização de uma perícia e relato de possíveis testemunhas.

Foi possível descobrir ainda no dia do crime, que um vizinho que possuía passagens policiais teria saído de casa naquela manhã, levando consigo seus pertences pessoais após se despedir da família. O delegado disse que chamou a atenção dos investigadores o fato de aquele vizinho, ao sair de casa, ter pedido perdão para sua mãe pois havia feito “algo errado com uma pessoa boa”.

Foi possível esclarecer ainda que o taxista possuía duas armas de fogo em casa e que o vizinho, suspeito do homicídio, teria se interessado pelos revólveres. A motivação do homicídio ainda está sendo apurada.

A Polícia Civil tem 30 dias para concluir o inquérito. Novas testemunhas serão ouvidas. Blumenau soma sete homicídios em 2020, todos esclarecidos pela polícia.

Compartilhar
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”