Servidores rejeitam proposta da prefeitura e declaram estado de greve

Foto: Julio Castelein/Sintraseb.

A assembleia geral dos servidores municipais terminou com declaração de estado de greve nesta quinta-feira (24), em frente a Prefeitura de Blumenau. Os trabalhadores decidiram não aceitar a proposta do executivo, de fazer a reposição integral da inflação dos últimos 12 meses, de 5,07%, apenas para janeiro de 2020. Os servidores seguem solicitando que o reajuste já seja executado neste mês, data-base da categoria. Segundo Sindicato dos Servidores Públicos de Blumenau (Sintraseb), o documento que informa oficialmente a prefeitura em relação ao estado de greve será entregue nesta sexta-feira (25).

Em nota, a Prefeitura de Blumenau aponta que ainda está aguardando a posição oficial do resultado da assembleia, destaca que tem o compromisso de seguir negociando com os trabalhadores e que prioriza o pagamento dos salários em dia.

“Em relação à pauta salarial dos servidores públicos, a Prefeitura de Blumenau informa que aguarda a manifestação oficial do Sindicato dos Trabalhadores acerca dos rumos da assembléia que aconteceu nesta quinta-feira, 23.
A Administração Municipal reforça ainda sua postura de comprometimento e responsabilidade com o servidor público, garantindo as condições de negociação discutidas e apresentadas ao Sindicato, priorizando o pagamento de salários em dia, bem como a prestação de serviços nas diversas áreas, sem prejuízos para a população de Blumenau”.

 

 

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”