Representantes do Governo do Estado não comparecem em audiência pública sobre SC 108

Moradores lotaram o Salão Concórdia, mas debate sobre o novo traçado da rodovia foi esvaziado. Foto: Rodrigo Vieira/RNR

A falta de representantes do Governo do Estado e da empresa responsável pelo projeto do novo traçado da Rodovia SC 108, frustrou a audiência pública realizada na noite desta segunda-feira no Salão Concórdia, na Itoupava Central. O encontro foi organizado pela Câmara de Vereadores, por solicitação do vereador Ivan Naatz, do PDT. Dos 15 parlamentares, sete compareceram no evento. O salão ficou lotado de moradores.

A principal discussão foi em relação a mudança do projeto original. A primeira proposta apresentada era do novo traçado começar no acesso à BR-470, no Viaduto da Via Expressa, e seguir até o acesso à Luiz Alves. Depois, o Governo do Estado mudou o trajeto alterando a saída da nova parte da rodovia próximo ao posto da Polícia Rodoviária Estadual, no pé da Serra da Vila Itoupava. A alegação foi o alto custo com o traçado original.

Os moradores alegaram que a alteração vai manter os riscos de graves acidentes na região do acesso à Vila Itoupava, local de maior risco da rodovia. Segundo dados divulgados pela Polícia Rodoviária Estadual, 80% dos acidentes graves da SC 108 acontecem nesta região.

No final do encontro ficou definido que será solicitado a Secretaria de Desenvolvimento Regional que marque um encontro com os moradores para debater a mudança. Nesta segunda-feira, 31, o governador Raimundo Colombo esteve de passagem por Blumenau e divulgou que a empresa responsável pela obra será escolhida nesta quarta-feira.

Compartilhar
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”