Para economista, o tempo é o melhor amigo do poupador e do dinheiro

Uma pesquisa feita em 210 cidades do país descobriu que oito em cada 10 entrevistados não guardaram um único centavo no último ano. O resultado comprova a teoria de que o brasileiro não tem o hábito de poupar. Talvez porque guardar dinheiro exige planejamento, disciplina, objetivos e tempo. Para o Professor e Doutor em Administração, Carlo Enrico Bressiani, entre estes requisitos, o tempo é o principal deles. Segundo ele, tempo é o melhor amigo do poupador e do dinheiro porque quanto mais tempo você poupa mais volume terá de recursos e de rendimentos.
Já que economizar é importante segundo os especialistas, mas grande parte dos brasileiros não tem a cultura da poupança, como mudar essa realidade? Para o professor, quem não tem o hábito de economizar deve começar com pequenos valores como R$ 10 ou R$ 15. É necessário ter a atitude para depois gerar o hábito.
Além de fazer uma poupança para ter mais tranqüilidade financeira no futuro, o poupador também deve guardar dinheiro para emergências. Esta prática também é chamada de colchão de segurança. É necessário fazer um levantamento do custo mensal e procurar fazer um reserva que garanta a manutenção por três meses. Isso garante uma segurança em casos de emergências ou até mesmo de desemprego.
Conforme o estudo entre as pessoas que guardam as economias, 51% poupam para emergências, 15% para comprar um bem, e 9%, para ter conforto no futuro. Apenas 6% para investir em educação.

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”