Mobilização contra o Aedes atinge cerca de 45 mil pessoas em Blumenau

Foto: Eraldo Schnaider/PMB

O sábado  foi de muito trabalho para mais de 400 voluntários que se envolveram na mobilização nacional contra o mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.  O grupo visitou mais de 30 pontos da cidade levando informações e orientações para cerca de 45 mil pessoas. As atividades envolveram agentes da Secretaria Municipal de Saúde, 23º BI e voluntários de diversos setores da Prefeitura.

As atividades ficaram concentradas em 71 ruas, localizadas nos bairros Escola Agrícola, Fortaleza e Itoupava Central, envolvendo mais de 230 pessoas. Nessa ação, foram visitados aproximadamente 1200 imóveis, e nesses menos de 3% dos moradores não aceitaram nem receber material informativo ou a visita dos agentes.

Durante as visitas, um novo foco de larvas do mosquito foi encontrado e confirmado, no bairro Escola Agrícola. Com isso, sobe para 11 o número de focos no município. Em relação aos casos confirmados das doenças transmitidas pelo Aedes, Blumenau tem hoje seis casos de dengue e um de chikungunya. Em todos eles as pessoas viajaram para outros estados e foram infectados nesses locais e não na cidade. Não há em Blumenau nenhum caso confirmado de zika, mas uma gestante ainda aguarda o resultado do exame.

Das 43 notificações de dengue, 26 amostras já retornaram do laboratório estadual com resultado negativo e o restante ainda aguarda análise. Três suspeitas de chikungunya também estão esperando o resultado.

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”