Mais de 30 empresários blumenauenses caem em golpe que prometia redução de impostos federais

Imagem: Reprodução/Portal Liberal.

Mais de 30 empresários do Vale do Itajaí caíram em um golpe que prometia redução no pagamento de impostos federais. O primeiro caso chegou ao conhecimento da Receita Federal de Blumenau em março de 2014 e desde então os crimes só tem aumentado.

Segundo o Delegado da Receita Federal Jaime Böger os estelionatários se apresentam como consultores tributários de escritórios sediados no Rio de Janeiro e São Paulo. Eles vendem aos empresários contratos de liquidação e compensação de impostos.

Porém, esses documentos são todos de fachada e não tem validade alguma. De acordo com o delegado, os golpistas pedem aos empresários procurações eletrônicas, senhas de acesso e com isso acessam as contabilidades fiscais e o sistema da Receita Federal, onde editam e zeram os números.  Por isso, ao consultar o sistema, os empresários têm a falsa impressão de que foram isentados.

Ainda segundo o Delegado, em apenas um golpe o prejuízo da empresa será de R$ 20 milhões com o dinheiro entregue aos golpistas mais o imposto que ele terá que pagar com multa e juros. Em Blumenau a Receita Federal já conseguiu cobrar R$ 10 milhões em impostos sonegados.

O presidente Sindicato dos Contabilistas de Blumenau e Região, Nélson Mohr, informou que o Sescon, juntamente com a Receita Federal, já lançaram um alerta para que os associados estejam informados sobre o golpe e ação dos criminosos.

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”