Juíza Quitéria Tamanini estreia quadro no Jornal da Nereu

“Mais do que saber os seus direitos, sociedade precisa aprender a exercê-los” Com esta mensagem, estreou nesta sexta-feira,07, o quadro Cidadania em Debate, que conta com a participação da magistrada Quitéria Tamanini Vieira Péres.

A atração é semanal, vai ao ar todas às sextas-feiras, sempre às 7h30, dentro do Jornal da Nereu, com Paulo Cesar.

Objetivo é orientar e esclarecer o cidadão sobre seus direitos e deveres, estimular  a população para termos uma sociedade mais consciente, educada e participativa.

Leia a baixo o comentário na íntegra da juíza Quitéria Tamanini Vieira Péres.

CIDADANIA EM DEBATE – 07.08.2015

Quitéria Tamanini Vieira Péres

Mais do que a simples qualidade de cidadão, a cidadania representa a condição da pessoa que, como membro de um Estado, se acha no gozo dos direitos que lhe permitem participar da vida política da sociedade.Foi isso que ouvimos nos bancos escolares, não foi?A pergunta que faço é: O que temos feito com isso? A minha percepção é de que temos feito muito menos do que deveríamos.

A verdade é que a mera possibilidade de gozar os direitos não expressa, na essência, o sentido de cidadania. Isso porque seu significado abriga vida própria, ou seja, não tem sentido sem que se assegure o efetivo exercício dos direitos. É como pensar que justiça e processo sejam a mesma coisa. Ou, noutro ângulo da vida, casamento e amor. Aprendizado e nota. Missão profissional e emprego.

Por isso, a importância de debater o assunto. Debater pressupõe postura ativa, de um partícipe, muito mais que simples espectador. Ao ligarmos a televisão ou o rádio, assistimos os programas exibidos. E quando desligamos, continuamos agindo assim?Assistindo a vida? Espero (sinceramente) que não.

Bem, como vimos, saber os direitos não é suficiente. Precisamos saber como fazer para exercê-los. Este passo exige um pouco mais do nosso interesse. Exige também que saiamos da zona de conforto, marcada em alguns casos até mesmo por certa dose de alienação, às vezes inconsciente.

Fico feliz em revelar que, a meu ver, o grande segredo para a consagração da cidadania está na conscientização acerca do motivo pelo qual as coisas acontecem e também no constante questionamento sobre nossa postura. Sim, queiramos ou não, sempre assumimos uma postura que pode ser de ação ou de omissão.O grande segredo, como se percebe, está no porque. Por que a corrupção chegou ao nível que testemunhamos hoje. Por que o política não tem atraído o interesse do cidadão. Por que consumimos tanto? Por que a sensação de insegurança assumiu proporções tão expressivas. Por que vivemos este quadro no sistema de transporte coletivo? Por que? Por que?

Coincidências à parte, pois acredito que elas não existem, os “porquês” habitavam nossa infância. Depois, foram desaparecendo na medida em que essa tal maturidade se aproximava. Dizem que isso aconteceu porque, com o passar dos anos, fomos perdendo nossa capacidade de indignação (justamente ela que é o combustível da cidadania). E você, o que acha? Não deveria ser diferente?A propósito, você ainda tem se indignado ou acha que as coisas são assim mesmo e que o problema não é seu?

DICA DO DIA: Não se contente em saber apenas o que está acontecendo, ou como. Pergunte-se também sobre o porque. Isso despertará em você a força necessária para operar a mudança de atitude que poderá fazer toda a diferença.

Ouça o comentário.

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”