Juiz de garantias vai encarecer custos com judiciário e proteger criminosos, diz promotor

O presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Dias Toffoli, adiou por seis meses a implementação da figura do juiz de garantias. A medida está prevista na lei anticrime, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, que entra em vigor no dia 23 de janeiro.

A maioria dos ministros do STF, inclusive o próprio Toffoli , apoia a criação do dispositivo. Nesta quarta-feira, 15, em entrevista a Rádio Nereu Ramos o promotor do Ministério Público de SC, Odair Tramontim, se posicionou contra a mudança. Ele criticou o que considera mais um benefício para criminosos no país.

Ouça:

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”