Issblu pretende alterar regra para aposentadorias do funcionalismo público

Presidente do Issblu diz que é necessário discutir e promover a alteração da lei para garantir a saúde financeira do Instituto. Foto: RNR

O Issblu, Instituto Municipal de Seguridade Social do Servidor de Blumenau, pretende alterar regra para aposentadorias do funcionalismo público. A mudança, se for implantada, não irá atingir todos os servidores municipais. Segundo o presidente do Instituto, Elói Barni, é necessário discutir e promover a alteração da lei para garantir a saúde financeira do Instituto.

A principal mudança que está em discussão é a ampliação do tempo de contribuição para que o servidor garanta a incorporação de gratificação ao valor da aposentadoria.

Para ter tal beneficio, pela regra atual, o servidor com gratificação assegurada, precisa contribuir por dez anos para incorporar à aposentadoria 100% do valor adicional.

O Issblu quer ampliar o tempo de contribuição de 10 para 35 anos para homens e 30 anos para as mulheres. Ou seja, para receber a gratificação  integral na aposentadoria, os servidores terão que trabalhar por mais tempo.

Hoje o Issblu tem 6.688 segurados e 2.035 aposentados e pensionistas. O sistema ainda se paga. Em março, por exemplo, o instituto arrecadou pouco mais de R$ 8 milhões de reais com as contribuições previdenciárias e pagou R$ 6 milhões e cem mil reais pelas aposentadorias, pensões e auxílio doença.

Para a proposta entrar em vigor é preciso, antes ser aprovada pelo Conselho de Administração do Issblu e pela Câmara de Vereadores. Podem ser atingidas as funções de engenheiros, arquitetos, procuradores, médicos,- profissionais com ensino superior com extensão de jornada, além de motoristas com  gratificação de condução e fiscais de tributos e fiscais de obras com gratificação por produtividade.

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”