Governo do Estado define futuro do prédio da ADR em Blumenau

O Governo de Santa Catarina publicou nesta sexta-feira, 26, a portaria que define os órgãos que ocuparão os prédios das Agências de Desenvolvimento Regional (ADR’s), extintas por Carlos Moisés da Silva (PSL) no último dia 19 de janeiro.

As definições foram feitas priorizando serviços de saúde, educação, infraestrutura e instituições estaduais que ocupavam instalações alugadas. “A intenção da reocupação também caracteriza uma preocupação do governador com o patrimônio do Estado, já que nenhuma sede ficará obsoleta”, destaca o secretário da Administração, Jorge Eduardo Tasca.

A extinta Agência de Desenvolvimento Regional de Blumenau, localizada na Rua Braz Wanka, no bairro Asilo, será ocupada pelos seguintes órgãos:

  • Secretaria de Estado da Educação;
  • Secretaria de Estado da Saúde;
  • Secretaria da Administração;
  • Secretaria da Assistência Social, Trabalho e Habitação;
  • Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC);
  • Instituto Geral de Perícias (IGP);
  • Instituto do Meio Ambiente (IMA);
  • Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina (IPREV);
  • Perícia Médica;
  • SC Saúde;
  • Sistema Nacional de Emprego (Sine);
  • Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri);

A portaria, que entra em vigor no próximo dia 1º de maio, define ainda que as garagens e vagas de estacionamento serão destinadas aos veículos oficiais e que as despesas geradas serão pagas pelos próprios órgãos que ocuparão o imóvel.

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”