Discussão sobre gratificações de diretores ficará para 2019, segundo prefeitura

A Prefeitura de Blumenau emitiu uma nota nesta segunda-feira (10), informando que deixará para 2019 a discussão do Projeto de Lei 1.827, que aborda as readequações das gratificações de diretores e coordenadores pedagógicos das escolas municipais. A proposta deverá ser enviada para a Câmara de Vereadores apenas no ano que vem, após o executivo ouvir os diretores.

O projeto esteve em meio a polêmica nas últimas semanas e foi motivo de protesto por parte de servidores e sindicato dos trabalhadores do serviço público de Blumenau. Porém, não chegou a ser colocado em pauta pelo legislativo, diferentemente da proposta que retirou o FGTS dos funcionários admitidos em caráter temporário, votado na semana passada em caráter de urgência urgentíssima.

Segundo o prefeito, este tema precisa ser melhor discutido com os principais envolvidos.“Sei da importância do tema e trato a educação como prioridade. Por isso, vou me reunir ainda este ano com os diretores para discutir o assunto e construir o melhor caminho”, afirmou Mário Hildebrandt.

O executivo ainda destacou que em julho a Prefeitura recebeu ofício do Sintraseb pedindo para alterar a atual regra de gratificações a diretores escolares (70% do valor do salário), fixando valor máximo de R$ 2.352,12. Após fazer pesquisas a nível estadual, o município propôs uma gratificação que vai de 40% a 100% do salário do servidor, com teto de R$ 3.134,84, valor maior que a proposta apresentada pelo sindicato.

Segundo a prefeitura isso geraria uma economia de cerca de R$ 3 milhões por ano.

 

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”