Deputada denuncia Governo do Estado de retirar do orçamento recurso que garantia obra do Prolongamento da Via Expressa

A deputada estadual Ana Paula Lima, questionou nesta sexta-feira, em entrevista ao Jornal da Nereu a “relocação” de quarenta e nove milhões de reais que seriam destinados ao Prolongamento da Via Expressa. Segundo a parlamentar, o dinheiro foi destinado à duplicação da Rodovia Antônio Heil, que liga Brusque a Itajaí, e que o início dos trabalhos na SC-108 não começará em 2014.

– Descaso da administração estadual com a nossa região. Mais uma vez. Mais uma vez o governo vem aqui prometer e não cumpre. Fala que vai acontecer e não cumpre as suas promessas – afirmou.

O secretário regional César Botelho, explicou que o que aconteceu foi apenas uma modificação na fonte de financiamento. Em um primeiro momento, o Prolongamento da Via Expressa seria financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento e que agora, será pelo Banco do Brasil. O secretário ainda ironizou a assessoria de Ana Paula Lima.

– Como não foi possível deixar a licitação, foi trocada uma fonte por outra. A deputada, provavelmente, não tinha essa informação, deve ter visto no Diário Oficial. Ela deve estar bem mal assessorada – afirmou o secretário.

Já a chefia de gabinete de Ana Paula rebateu César Botelho. Erlédio Pering afirmou que por não estar no orçamento de 2014, a obra do Prolongamento da Via Expressa não poderá ter o processo licitatório para a execução dos trabalhos lançado nesse ano.

– É uma questão primária. Independentemente da fonte de financiamento, nós queremos a reposição dos recursos para que a obra possa sair do papel – disse.

Ainda não há previsão para quando será lançado o processo de licitação da execução da obra. O secretário regional César Botelho não soube especificar uma data.

Compartilhar
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”