Câmara autoriza Prefeitura de Blumenau e Furb a suspenderem repasse ao ISSBLU por 10 meses

Fonte: Assessoria de Imprensa CMB

O ISSBLU, Instituto de Seguridade Social do Servidor Público de Blumenau, não vai receber os repasses da prefeitura e da Furb, referente aos meses de março a dezembro. A decisão foi autorizada pela Câmara de Vereadores na sessão desta quinta-feira. O projeto encaminhado em regime urgentíssimo foi aprovado por nove votos a favor, dois contrários e teve duas abstenções. Débitos parcelados também deixarão de ser pagos no período.

Na justificativa do projeto, o executivo informa há dificuldades para manter a programação financeira neste ano, diante da queda sucessiva de receitas, e os valores economizados, cerca de R$ 53 milhões, serão prioritariamente direcionados para o combate à pandemia e manutenção da folha de pagamento dos servidores

Os vereadores Professor Gilson (Patriota), Ito de Souza (PL), Adriano Pereira (PT) e Bruno Cunha (Cidadania) questionaram a impossibilidade de discussão da proposta com as partes interessadas, no ISSBLU e o Sintraseb, uma vez que o projeto chegou à casa em regime urgentíssimo. Eles ressaltaram que o projeto poderia colocar em risco a saúde financeira do ISSBLU e a aposentadoria de muitos servidores no futuro.

O presidente Marcelo Lanzarin (Podemos) frisou que os projetos votados em regime urgentíssimo tinham apenas uma ou duas páginas e estavam sendo discutidos desde o início da sessão. Ele e o vereador Alexandre Caminha (SD) defenderam a necessidade de aprovação da proposta para não prejudicar os servidores. O líder do governo, vereador Alexandre Matias (PSDB), reiterou que os R$ 53 milhões que deixarão de ser pagos no período, têm a intenção de garantir a manutenção dos salários dos servidores e destacou que a pandemia gerou dificuldades econômicas que refletiram numa queda de arrecadação de R$ 180 milhões.

Compartilhar
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”