Auxílio emergencial começa a ser pago nesta quarta-feira para quem apresentou contestação

Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

O governo federal divulgou o calendário da primeira parcela do auxílio emergencial para os trabalhadores que tiveram o pedido negado e recorreram na plataforma digital entre os dias 24 de abril e 19 de julho. Segundo a DataPrev, órgão responsável por processar os dados do programa, mais de 805 mil pessoas conseguiram ter direito ao auxílio após contestarem o primeiro resultado que negou o acesso ao benefício.

Esse grupo poderá receber o dinheiro a partir de amanhã, quarta-feira, quando será creditado o auxílio para os nascidos entre janeiro e maio. O calendário segue até o dia 26 de agosto, quando poderão receber a primeira parcela os nascidos no mês de dezembro.

Ainda entram neste novo calendário os beneficiários que receberam a primeira parcela em abril, mas tiveram o recurso bloqueado depois disso. Esse grupo deve receber a terceira e quarta parcela de uma só vez também a partir dessa quarta-feira. Esse calendário permite ao beneficiário ter acesso ao recurso para o pagamento de boletos ou transferências digitais.

Já para sacar o dinheiro em espécie o calendário é outro, que começa no próximo sábado, dia 8, para quem nasceu entre janeiro e abril. O calendário de saques para este grupo de beneficiários segue até o dia 17 de setembro, quando poderão sacar os recursos os trabalhadores que nasceram no mês de dezembro.

Por Agência Brasil

Compartilhar
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”