Atuais hexacampeãs, meninas do basquete de Blumenau podem não disputar o Campeonato Catarinense

 

O tom de voz do técnico João Camargo Neto indicava um certo desânimo. Quase que inevitável, é verdade. Isso porque as meninas do basquete de Blumenau podem não disputar o Campeonato Catarinense por conta da atual situação financeira da modalidade. O corte do orçamento não comprometeu o elenco porque todas as jogadoras aceitaram uma redução salarial, mas traz impactos e um efeito dominó para questões logísticas e a possibilidade de participação em outras competições.

“Nós não temos condição hoje de disputar o Estadual. Temos só oito atletas no elenco e, pelo que eu percebi na reunião de semana passada,  muitos outros clubes têm problemas nesse ano, não é exclusividade de Blumenau. O apoio da federação é importante, essencial, mas não é suficiente para colocar uma equipe adulta em quadra”, disse o treinador em entrevista ao Panorama Esportivo.

Blumenau é 14 vezes campeão catarinense. Por duas vezes consecutivas – entre 1995 e 2000 e entre 2010 e 2015 – foi hexa no naipe feminino.  O objetivo de Camargo agora é correr atrás de apoio da iniciativa privada para viabilizar as participações em outros campeonatos e não somente nos Jogos Abertos de Santa Catarina. A título de curiosidade, enquanto concedia entrevista à Nereu nesta terça-feira, o treinador estava na sala de espera de uma empresa para buscar patrocínios.

O Campeonato Catarinense de Basquete deve começar no mês de junho.

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”