Assinada ordem de serviço para primeira etapa da obra do novo acesso da SC-108

Estado ainda não definiu projetos de pontes, viadutos e muros de contensão que deverão ser construídos ao longo do trecho. Foto: Rodrigo Vieira/RNR.

A obra do novo traçado da SC-108 vai começar sem a conclusão dos projetos de viadutos, pontes e muros de contensão. Segundo informou o secretário de Infraestrutura, João Carlos Ecker, ainda está sendo realizado o processo de contratação da empresa que fará os projetos. Devido a isso, a obra foi dividida em duas etapas. Na manhã desta segunda-feira foi assinada a ordem de serviço para realização da primeira delas.

A Cetenco Engenharia, de São Paulo, fará o serviço de terraplanagem e pavimentação dos cerca de 16 km de extensão do novo traçado, que vai ligar a BR-470, no Viaduto da Via Expressa, até próximo ao posto da Polícia Rodoviária Estadual na Itoupava Central. A empresa deve começar ainda nesta semana a montagem do canteiro de obras. Não foi divulgada uma data para início dos trabalhos.

A segunda etapa é a construção dos acessos, com pontes e viadutos. Após a conclusão dos projetos será realizada a licitação para escolha da empresa responsável pelo serviço. O prazo de conclusão de toda a obra, incluindo viadutos, pontes e muros, é de três anos após o início.

O custo do novo traçado está avaliado em cerca de R$ 200 milhões, sendo R$ 60 milhões para desapropriações.  O estado divulgou que as negociações serão realizadas conforme o andamento da obra.

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”