AMMVI quer audiência com secretário de infraestrutura para discutir adesão ao Projeto Recuperar

Foto: Jaime Batista da Silva / Blog do Jaime

A Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (AMMVI) vai solicitar uma audiência com o Secretário Estadual de Infraestrutura, Carlos Hassler, para discutir a adesão ao Projeto Recuperar. A data do encontro ainda não foi definida, mas deve ocorrer nas próximas semanas. O programa criado pelo Governo do Estado estabelece que os municípios fiquem responsáveis pela manutenção das rodovias estaduais. Em contrapartida o estado irá repassar uma verba mensal para cobrir os custos.

A intenção do Estado é pagar mensalmente cerca de R$1,6 mil por quilômetro. De acordo com a AMMVI, a região possui 295 km de rodovias estaduais. Assim, os municípios teriam R$ 472 mil por mês, para realizar manutenções na pista, roçadas e melhorias na sinalização das vias.

Alguns prefeitos, no entanto, estão incertos se o valor repassado pelo estado será suficiente para a execução de todos os serviços. Em um comunicado oficial emitido nesta sexta-feira, 16, a AMMVI aponta que 70% das rodovias estaduais da região estão em estado ruim ou péssimo, o que exigiria um investimento maior para a plena recuperação das estradas. A entidade também salientou que o convênio proposto pelo Governo do Estado não prevê o ressarcimento dos custos com pessoal para a execução dos trabalhos administrativos, técnicos e jurídicos, ficando a cargo dos municípios este custeio.

Na nota, a AMMVI voltou a ressaltar que até que a decisão final seja tomada o Governo de Santa Catarina é o responsável pela manutenção das rodovias estaduais na região.

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”