A opinião sobre a crise e os reflexos sobre o turismo

Considero muito difícil chegar a uma boa conclusão com relação a esta suposta crise brasileira. Digo suposta porque já vi neste país, em outros tempos,  filas e filas de desempregados atras de uma oportunidade. Inflação acima de 80%  em que  a população comprava um pãozinho por um preço hoje e outro amanhã. Vi o movimento das diretas já, e muitas manifestações, brigas e crises de toda a natureza, ou seja, tive a oportunidade de presenciar algumas crises  e naquela época o foco era sempre o mesmo.

Não vim aqui para defender nenhum governo e partido, e sim pra opinar sobre este momento. Acho que crise está na cabeça das pessoas. Convivo com muitas pessoas e empresas que nem sabem o que é isto, sua vida vai muito bem. Foram precavidos. Assim sendo, nem todo mundo está em crise. Crise é guerra civil. Crise é desemprego total.

Também aprendi que, numa crise, crie. Muitas e muitas pessoas e empresas inovaram  e criaram dentro de uma crise e se deram muito bem. Sempre soube que  “somente os fortes sobreviverão”, o que quer dizer que durante uma crise é que aparecem as pessoas, empresas e instituições que são fortes de verdade e que se preparam, criam, inovam  e mostram a todos que é possível sobreviver aos tempos difíceis até que as coisas melhorem   .

Defendo as manifestações, que por sinal foram ordeiras e pacíficas, mostrando a maturidade maior de nosso povo. Defendo a necessidade premente deste governo de reduzir seus gastos, combater fortemente este veneno infiltrado em nossas prefeituras, câmaras de vereadores, assembleias, senado, instituições e dentro do próprio governo, que é a corrupção terrível que impede obras, melhorias de saúde e educação e envergonha o povo brasileiro.

Acho que além de uma reforma politica e fiscal, o futuro está no investimento e apoio dos governos no empresariado brasileiro, gerador de empregos  e renda, empresariado este que já suporta e paga grande parte deste bolo e que não aguenta mais tanta indiferença. O Brasil é forte, nós somos fortes e já provamos ao longo de diversas crises em diversos tempos .

Mas vamos criar uma grande onda de otimismo. Vamos pensar pra frente. Não vamos deixar que este momento piore. Vamos cobrar conscientemente. Vamos nos envolver positivamente. O xingar é livre, mas vamos agir. Povo e empresariado tem que acreditar nas mudanças que queremos  e trabalhar ainda mais, porque se a  gente parar de trabalhar forte, mais crise virá.

Em tempo, o turismo sofre muito com estes momentos. Dólar disparado, cabeças negativas e descrentes, falta de expectativa. Milhares de pessoas estão deixando de viajar, de conhecer novos lugares . Estão em compasso de espera. Promotores de evento estão esperando para definir seus eventos . Altos custo e incerteza de lucros. Num país indefinido, o turismo vai parando e milhões de reais deixam de ser gastos .

Tomara que logo acabe!

Até a próxima

Compartilhe

PinIt
“O espaço para a participação dos ouvintes internautas no site da Rádio Nereu Ramos, tem como missão principal promover o debate dos assuntos de interesse da sociedade e que são abordados pelo jornalismo da emissora.
Comentários que contenham palavrões, ataques e ameaças pessoais ou que incentivem a violência, discriminação ou ódio contra uma pessoa ou grupo de pessoas devido à religião, raça, origem ou ideologia política, serão sumariamente excluídos.
Também não serão permitidas postagens com conteúdo comercial. Ofertas de produtos são proibidas, assim como publicar endereço de sites que façam vendas online e banner publicitários.
A responsabilidade civil e penal sobre o conteúdo publicado é do autor do conteúdo enviado para o site da emissora.”